A palavra temperada com sal - Ministério Ligonier
A luz da separação cristã
maio 3, 2023
trabalho
Viver tranquilamente e trabalhar com diligência como luz
maio 8, 2023

A palavra temperada com sal

Nota do editor: Este é o oitavo de 19 capítulos da série da revista Tabletalk: Sal e luz.

Meu pai e meu avô adoravam aforismos, declarações curtas e memoráveis de sabedoria. Não apenas herdei seu amor por elas, mas fiquei fascinado pelo desenvolvimento e uso de aforismos. Meu fascínio cresceu em resposta ao meu chamado pastoral. Como posso dizer algo com uma economia de palavras que seja memorável e exata e que comunique a sabedoria bíblica? É algo desafiador e recompensador nas conversas e na pregação.

Em Colossenses 4:6, o apóstolo Paulo escreve: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.” Grande parte deste texto é capturada neste aforismo: “Diga o que você quer dizer, fale sério e nunca seja cruel quando você diz isso.”

AS PALAVRAS CERTAS

Provérbios 25:11 nos diz: “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.” Efésios 4:29 expressa: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação.”

A comunicação é possível porque fomos feitos à imagem de Deus, mas nunca é neutra. Talvez você já tenha ouvido este aforismo enganoso: “Paus e pedras podem quebrar meus ossos, mas palavras nunca irão me machucar.” A realidade é que não demora muito para que as feridas de paus e pedras cicatrizem, mas palavras ofensivas machucam de modo profundo e duram interminavelmente.

Fomos salvos pela “palavra da vida” que nos trouxe a Cristo; portanto, os cristãos precisam falar palavras de vida mesmo nas situações mais desafiadoras. Jesus afirmou: “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não” (Mt 5:37). Fale a verdade com sinceridade e amor, mesmo quando tiver que abordar assuntos difíceis. Não escolha palavras que destruam, poluam ou envenenem os outros. Quanto mais difícil a questão, mais cuidadosa é a escolha das palavras.

O JEITO CERTO

A Escritura nos chama a falar com uma linguagem “temperada com sal” (Cl 4:6), para refletir a graça de Deus. A língua portuguesa depende muito do tom e da maneira de falar. A mesma frase com as mesmas palavras pode realmente comunicar duas mensagens totalmente diferentes, dependendo do tom.

O TEMPO CERTO

Falar na hora certa significa falar de acordo com a necessidade do momento. Considere os amigos de Jó. Fizeram algumas observações “certas” e usaram algumas palavras “certas”, mas foram destrutivos, porque falaram na “hora errada”. O Pregador exortou em Eclesiastes 3:7 que há “tempo de estar calado e tempo de falar”. E Tiago 1:19 declara: “Seja pronto para ouvir, tardio para falar.”

No bolso carrego um cartão para usar quando me encontrar com alguém. Tem três perguntas para iniciar nossa conversa e um acróstico: “WAIT”, que significa “Why Am I Talking?” (Por que estou conversando? em tradução livre). Meu pai me desafiou a ser um aprendiz. Também me informou que há um momento na vida em que é impossível aprender enquanto conversamos. O silêncio é necessário para ouvir, para que saibamos como e quando responder.

OS MOTIVOS CERTOS

É essencial na comunicação redentora transmitir a sabedoria de nossos corações para a vida dos outros. Os cristãos não devem falar simplesmente para se ouvir falar; nem devemos nos comunicar apenas para nos aliviar de um fardo.

A comunicação redentora não é para autogratificação, mas para a edificação do destinatário. Um amigo querido com quem gosto muito de conversar sempre começa nossas conversas: “Harry, meu filho, te amo. Há algo que você precisa ouvir.” Sei que o que está para sair de sua boca sairá de seu coração com as palavras certas, no tom certo, na hora certa e pelos motivos certos: para glória de Deus e minha edificação. Desde suas primeiras palavras, fica claro que está falando não para seu benefício, mas para o meu.

Tiago é claro: a língua é difícil de controlar e tem grande impacto quando usada. Se falar de um coração cheio de pecado, derramará o veneno do mal (veja Tg 3:1-12), mas se falar de um coração temperado com o sal da graça, derramará “sabedoria… lá do alto” (Tg 3:17). Portanto, a questão na comunicação redentora não é a língua, mas o coração: “O cerne do problema é o problema com o coração.” Escolha as palavras certas, faladas da maneira certa, na hora certa, pelos motivos certos. J. C. Ryle disse corretamente: “Fale a verdade com amor. Verdade sem amor é barbaridade; amor sem verdade é crueldade.”


Este artigo foi publicado originalmente na Tabletalk Magazine.

Harry L. Reeder III
Harry L. Reeder III
O Dr. Harry L. Reeder III é pastor sênior da Briarwood Presbyterian Church em Birmingham, Alabama. Ele é autor de vários livros, incluindo From Embers to a Flame [Das brasas a uma chama, em tradução livre].