O maior lucro
salvador
Nosso benigno Salvador
setembro 1, 2023
oração
Pastorear por meio da oração
setembro 6, 2023

O maior lucro

lucro

Nota do Editor: Este é o décimo quarto de 19 capítulos da série da revista Tabletalk: Palavras e frases bíblicas mal compreendidas.

Enquanto Paulo exorta Timóteo a ensinar fielmente a boa Palavra do Senhor, ele aponta um aspecto do falso cristianismo. Os falsos mestres são motivados pelo desejo de lucro pessoal (1 Tm 6) Porque ele está vivendo na supressão da verdade de Deus em injustiça, o falso mestre realmente não “entende” o evangelho ou a piedade. Marcado por desejos egoístas e um espírito argumentativo, o falso mestre acredita que de alguma forma a busca pela piedade o capacitará a obter ganhos pessoais em prestígio ou riqueza (1 Tm 6:4-5) Isso é o que impulsiona seu ensino e atos externos de piedade. A sóbria análise de Paulo nos desafia a examinar nossos próprios corações: Que lucro buscamos? Que benefício nos motiva?

O verdadeiro cristão que ama o Senhor Jesus Cristo vê a incrível bênção da salvação nEle e deseja a piedade, porque ser piedoso é viver em comunhão com o Deus vivo (1 Tm 6:3). Ele ecoa as palavras do hino “E será que eu deveria me interessar pelo sangue do Salvador?” E fica maravilhado com o amor de Deus. Isso é o que nos impulsiona quando nossos corações estão bem com o Senhor. Matthew Henry articula bem quando diz que os falsos mestres pensavam que poderiam obter lucros pessoais agindo de maneira piedosa, enquanto o cristão se maravilha com o que ganhou em Cristo e entende que a própria piedade é lucro. Paulo é firme e entusiástico: “De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento” (1 Tm 6:6). O que poderia ser maior do que a vida em comunhão com Deus? O que poderia ser melhor do que crescer em semelhança com Ele?

Paulo dá mais uma razão aqui em sua epístola a Timóteo sobre por que grande lucro é encontrado na piedade: “Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes” (1 Tm 6:7-8). O ganho terreno durará, no máximo, por esta vida, e Deus proverá nossas necessidades. Mas o lucro da piedade aumentará eternamente. Isso é um grande lucro.

O apóstolo conhece por experiência o descanso que vem do contentamento em Cristo. Tendo vida em e com Cristo, ele a tem por toda a vida e eternidade. Em sua epístola aos Filipenses, escrita da prisão, Paulo se regozija com a generosidade de seus leitores e os encoraja a descansar na bondade do Senhor como ele faz: “Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Fp 4:11). Quanto mais crescermos na piedade e na vida em comunhão com Deus, mais tudo se encaixará na perspectiva correta: “Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” (Rm 8:31-32). A vida com Deus é o começo de uma herança eterna que é “incorruptível, sem mácula, imarcescível” (1 Pe 1:4; ver Ap 22:3-5). Não há lucro maior.

Este artigo foi publicado originalmente na Tabletalk Magazine.

William VanDoodewaard
William VanDoodewaard
O Dr. William VanDoodewaard é professor de História da Igreja no Greenville Presbyterian Theological Seminary, na Carolina do Sul. Ele é autor ou editor de vários livros, entre eles The Quest for the Historical Adam [A busca pelo Adão histórico] e Charles Hodge’s Exegetical Lectures and Sermons on Hebrews [As palestras exegéticas e sermões de Charles Hodge sobre Hebreus].