Não subestime as crianças - Ministério Ligonier
hospitalidade
Pastorear com hospitalidade
maio 22, 2023
filhos
Quando você enxerga seu próprio pecado em seus filhos
maio 26, 2023

Não subestime as crianças

crianças

Nota do editor: Este é o décimo sexto de 19 capítulos da série da revista Tabletalk: Sal e luz.

Mateus 19:13-15 apresenta o maravilhoso relato de como Jesus deu as boas-vindas às crianças e as abençoou. Os discípulos, ao pensar que era indigno de nosso Salvador receber os meninos e meninas, tentam afastar as crianças. Certamente, devem ter pensado, Jesus era muito ocupado e importante demais para desperdiçar Seu tempo com crianças. Acreditavam que Ele tinha assuntos mais importantes para tratar, pessoas de maior influência e poder para abordar. Mas Jesus não concordou com a avaliação deles. Em outro exemplo de reformulação das noções de propriedade dos discípulos, Jesus afirmou: “Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus” (v. 14).

Não ousamos perder o significado das palavras de Jesus. Se as crianças não tivessem capacidade de entender o que é de Deus e a pessoa e os ensinamentos de Jesus, faria sentido mantê-las afastadas do Salvador até que tivessem idade suficiente para realmente compreendê-lo. A acolhida de Jesus às crianças implica que nossos jovens sejam capazes de compreender e acreditar nas profundas verdades que Ele proclama. Podem ter uma compreensão mais simples desses assuntos do que os adultos, mas isso não torna sua compreensão menos verdadeira. Na realidade, Jesus está implicitamente nos exortando a não subestimar nossas crianças e do que elas são capazes.

Qualquer um que tenha passado algum tempo conversando sobre a Bíblia ou sobre Deus ou outros assuntos espirituais com crianças, logo descobre que elas são, na verdade, perspicazes pequenos teólogos. Estou maravilhado com as perguntas que meus quatro filhos fazem (eles têm entre 4 e 12 anos de idade), bem como com suas percepções sobre a verdade divina. Mas não são apenas meus filhos. Ao longo dos anos, tive a oportunidade de ensinar na escola dominical ou participar de aulas para comungantes (aulas para crianças que se preparam para tomar a Ceia do Senhor), vejo os filhos de outras pessoas fazerem os mesmos tipos de perguntas notáveis e exibir uma amplitude semelhante de percepção. Em outras palavras, meninos e meninas muitas vezes mostram mais compreensão teológica do que pensamos.

No entanto, infelizmente muitas vezes subestimamos as crianças. Muitas igrejas enviam as crianças para um culto infantil durante o sermão. As intenções por trás disso são boas, pois a prática é motivada pela preocupação de tornar o ensino adequado à idade. Mas assume que as crianças são incapazes de entender os sermões comuns. Tal atitude subestima as crianças e divide a reunião corporativa.

Para ser justo, às vezes isso acontece, porque os pastores não levam em consideração a presença de crianças na congregação. Isso também subestima as crianças, pois ignora a necessidade de aplicação da Palavra de Deus em suas próprias vidas e assume que são incapazes de levar o que é dito aos adultos e adaptá-lo às suas próprias circunstâncias.

Certamente há um lugar para instrução sob medida para crianças mais novas e aulas específicas para elas. Porém, devemos ter cuidado para nunca subestimar nossas crianças. Jesus nunca subestimou.

Este artigo foi publicado originalmente na Tabletalk Magazine.

Robert Rothwell
Robert Rothwell
Robert Rothwell é editor associado da revista Tabletalk, escritor sênior do Ministério Ligonier e professor adjunto permanente no Reformation Bible College em Sanford, Flórida.